segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Tempestades revelam florestas pré-históricas nas praias



As violentas tempestades removeram sedimentos de praias do Reino Unido revelando florestas pré-históricas. São tocos de carvalhos, faias e pinheiros datando de há 6.000-4.000 anos, que os cientistas têm agora a oportunidade de estudar antes que voltem a submergidos por areia nos próximos meses. 

As florestas ancestrais localizam-se em Mount Bay, na costa da Cornualha, e entre Borth e Ynyslas no litoral do País de Gales, e remontam a uma época anterior à subida do nível do mar, que causou o seu desaparecimento debaixo de camadas de turfa, areia e água salgada, revela o The Guardian.

Os cientistas já sabiam da existência destas florestas que viram a luz pela primeira vez em 40 anos, indica por seu lado o The Telegraph, mas só agora foi possível determinar a sua idade através da medição do carbono radioactivo.

A “emersão” deste tipo de relíquias não é fenómeno novo, ocorrendo como resultado da erosão da costa causada por grandes temporais.

Fotos: LNP/Keith Morris/LNP

http://beachcam.sapo.pt/noticias/tempestades-revelam-florestas-pre-historicas-nas-praias/

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Rogue Wave

Na passada Segunda-feira, aquando da passagem da tempestade Stephanie que assolou a costa portuguesa, olhei para os registos das bóias ondógrafo, e em Sines vi isto:


Uma onda de 17.27 m, quando a altura significativa foi de 7.92 m, só pode ser uma Rogue Wave. Mas o que é uma Rogue Wave? Uma onda é assim classificada quando tem pelo menos o dobro da altura significativa, que já por si só é uma média do terço das ondas mais elevadas registadas pela bóia. É a onda mais misteriosa que acontece no Oceano, sendo alvo ainda de muita investigação para descobrir a sua origem. Sabe-se que resultam da soma de muitas ondas individuais, mas como tal acontece ainda não está bem explicado.

As Rogue Waves são um fenómeno imprevisível que pode acontecer com qualquer mar, a qualquer momento. Com um mar de 1 metro, uma onda com 3 metros já é considerada Rogue Wave. São por isso ondas muito perigosas, sobretudo para as embarcações porque são mais frequentes em mar alto. Há vários registos na história de navios que desparaceram misteriosamente e julga-se que foram vítimas de Rogue Waves em tempestades.

Neste caso de Sines, torna-se relevante porque esta aconteceu perto da nossa costa. É preciso um azar dos diabos, mas nunca se sabe quando um pescador poderá ter de encarar uma. Fica aqui a confirmação do IPMA acerca de ocorrência do fenómeno. Note-se que esta foi uma onda individual muito superior a qualquer outra. Houve registo de várias ondas entre os 11 e 13 metros durante o temporal, mas nenhuma se aproximou deste registo.

O vento intenso associado à depressão originou agitação marítima forte no Atlântico, tendo-sido registado nas bóias ondógrafo do Instituto Hidrográfico (IH) ondas com altura significativa, Hs, até 8 m e com altura máxima, Hmax, de 12.5 m em Leixões e 17 m em Sines (Figura 2), associadas a um período de médio de 10 s.

As previsões dos modelos numéricos (Figura 3) assim como as previsões do Centro Operacional de Previsão do Tempo do IPMA foram corroboradas pelas medições obtidas pela rede de bóias ondógrafo do Instituto Hidrográfico.

As ondas de altura máxima com 17 metros, observadas em Sines, podem ser designadas como “freak (ou rogue) wave”, uma vez que a sua altura foi maior que o dobro da altura significativa (Hs ~8 m), o que se pode considerar como um evento extremo, dado que a probabilidade de ocorrer é inferior a 1%.

http://www.ipma.pt/pt/media/noticias/newsdetail.html?f=/pt/media/noticias/textos/tempestade-stephanie.html

Para mais informações acerca de Rogue Waves: http://en.wikipedia.org/wiki/Rogue_wave

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Mau tempo

Como está fazendo muito mau tempo, com o mar a não ajudar nada.
Ficamos todos impedidos de exercer o nosso hobby favorito....PESCA
Assim só nos resta esperar por melhores dias, que, inevitavelmente virão.
Enquanto vamos sonhando com belas pescarias, nada como pesquisar por novas coisas relacionados com a pesca.
Assim, na sequência das minhas pesquisas, fiz um vídeo, com imagens de pesca.
Reparem bem nos locais, nos peixes capturados, no material de pesca (canas,carretos, etc) e, porque não, nas paisagens.
Espero que seja educativo e descontraído, e que vos ajude a ultrapassar esta fase de condições atmosféricas e marítimas adversas

video

Espero que tenham gostado......

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Figurantes

Partilhamos aqui um excerto de um filme encontrado no www.beachcam.pt.
O local é facilmente identificável. Foi no mês de Novembro, o mar estava durinho, e optamos pelo local. Como conhecíamos mal o local, fomos explorar spots e conhecer "os cantos á casa" na medida do possível.

Quando vínhamos embora reparamos nuns surfistas, e em 2 "maquinões". Um deles era uma câmera de filmar num tripé. O outro era a senhorita que estava por detrás da câmera :D
video

Foi um regresso de mais um dia bem passado, junto ao mar, numa paisagem maravilhosa.  No balde ainda vieram uns 7 Sargos de razoável calibre.

Recordo este dia, pois além de ter sido agradável (como são quase todos) soltou-se-me um "dentuças" (como não podia deixar de ser) e descobrimos muitas coisas novas do local (das quais já tiramos proveito posteriormente)

Como "cereja em cima do bolo" fomos filmados por uma brutal câmera operada por uma brutal operadora de câmera :D

O que se pode pedir mais  ?!?!?!?!?!?!!?